top of page
  • tapajosvivostm

CEFT-BAM é comtemplado com energia limpa e sustentável

A entidade que atende trabalhadores da região do Baixo Amazonas recebeu oficialmente o sistema de energia fotovoltaico 





O Projeto Tapajós Solar é uma das diversas ações desenvolvidas pelo Movimento Tapajós Vivo em defesa do território e do meio ambiente, que consiste na implantação de sistemas fotovoltaicos, apresentando assim, uma alternativa de energia limpa e sustentável para salvar o rio Tapajós e manter a soberania das populações tradicionais.  


Desde o ano de 2019, o projeto segue instalando o sistema de energia solar em várias entidades e instituições sociais que lutam em defesa do território. Uma dessas entidades é o Centro de Estudos, Pesquisas e Formação dos Trabalhadores do Baixo Amazonas (CEFT-BAM), que nesta quinta-feira (13 de maio) recebeu oficialmente o sistema fotovoltaico da equipe do Projeto Tapajós Solar.  


O CEFT-BAM foi fundado no dia 20 de janeiro de 1990 e fica situado na Travessa Raimundo Fona no bairro Liberdade, em Santarém, oeste do Pará. Sua história está diretamente ligada em desenvolver a formação de trabalhadores principalmente na questão ambiental. Em todos esses anos de sua existência, vários projetos já foram desenvolvidos, entre eles podemos destacar: Projeto Amazônia Sem Fogo, Projeto Enxame (Mel de abelha), Projeto de Técnicas Agrícolas, Projeto Roça Sem Fogo e muitos outros. 

Claudionor Carvalho, presidente do CEFT-BAM, destacou a importância de receber a implantação do sistema de energia solar na entidade. 


“Assim que foi anunciado a proposta do CEFT-BAM ser comtemplado com esse projeto, nós ficamos muito felizes. Já era uma discussão que vínhamos tendo em relação a ter uma energia limpa e sustentável. Então foi muito importante o Tapajós Vivo ter escolhido a nossa entidade, até por que a nossa entidade ela tem uma abrangência tanto na região do baixo amazonas como também na BR-163. Isso só vai fortalecer mais o nosso movimento. Aqui é um espaço de muitos debates e reuniões e a gente precisa muito usar a energia.” 

Segundo Claudionor, a entidade e seus integrantes terão muitos benefícios além do econômico. 


“Muitos benefícios este projeto trará para nossa organização. Todas as nossas atividades, principalmente nesses tempos de pandemia estão acontecendo de forma virtual, e antes da chegada do projeto sofríamos muito com queda de energia, além dos gastos com manutenção e dependíamos muito da contribuição dos associados. Então com a economia, podemos estar realizando outras ações que ajudem o meio ambiente. Além de que nossa entidade pode servir de exemplo para outras instituições sobre a importância da energia limpa.” 

Claudionor aproveitou para destacar que o Projeto Tapajós Solar é mais uma ferramenta que fortalece a luta em defesa do território. 


“Esse projeto vai nos trazer elementos suficientes na defesa dos nossos territórios, principalmente nós aqui da região que temos nosso território todo pontuado por hidrelétricas e outros grandes empreendimentos que querem se instalar.  Esse projeto aqui vai nos mostrar que é possível gerar energia, é possível ter uma energia de qualidade sem precisar de barragens dos rios, pois esses grandes empreendimentos acabam coma avida das populações tradicionais. Com o Tapajós solar podemos lutar contra grandes projetos de desastre ambiental, para que o povo fique na sua comunidade e vivam a sua cultura."

O Projeto Tapajós Solar é coordenado e executado pelo Movimento Tapajós Vivo em parceria com o Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Socioambiental que objetiva o incentivo do uso das energias renováveis com a instalação de sistemas fotovoltaicos em espaços coletivos de organizações parceiras na luta pela vida do rio Tapajós e a soberania dos seus povos. O projeto tem apoio da Misereor e Cáritas Brasileira. 


Sobre o Movimento Tapajós Vivo 


O Movimento Tapajós Vivo (MTV), criado no ano de 2009, é uma entidade, e acima de tudo, é um coletivo organizado através da união de militantes da sociedade civil que lutam pela soberania dos povos da Amazônia, em especial na bacia do Tapajós. 


Ao longo dos anos de sua existência, o MTV já foi protagonista, e também já fortaleceu inúmeras lutas em defesa do território contra a ganância de grandes empreendimentos. É um coletivo que não é apenas contra projetos desastrosos para a região, mas apresenta alternativas que fazem bem para o povo e o meio ambiente, um exemplo disso é o Projeto Tapajós Solar, que tem como objetivo a solarização de espaços coletivos e o incentivo as pessoas a prática do uso de energias renováveis na região do Tapajós. 

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page